Início Idade Antiga Fala-se muito dos pais da Igreja e esquece-se das mães

Fala-se muito dos pais da Igreja e esquece-se das mães

1234
0
COMPARTILHAR

Fala-se muito dos pais da Igreja e esquece-se das mães da Igreja…

Uma delas, e talvez a mais fundamental para a nossa base teológica, é Macrina da Capadócia (327-380).

Nasceu em uma família cristã abastada da Capadócia. Aos 12 anos, o marido para o qual estava prometida em casamento morreu. Livre, então, do compromisso do casamento, resolveu viver em celibato, dedicando tempo e dinheiro para a pregação do Evangelho e ensino. Junto de sua mãe, fundou um mosteiro feminino na sua própria casa.

Macrina era a irmã mais velha de Basílio de Cesareia (330-379) e Gregório de Nissa (340-395). Ambos são os nomes mais importantes para a consolidação da teologia cristã da Trindade – a que reconhece o Pai, Filho e o Espírito Santo como plenamente divinos, participantes de uma única substância (ousia) divina e existente em três pessoas (hypostasis) distintas. Eles, juntamente com Gregório de Nazianzo (329-390), defenderam essa doutrina e influenciaram bispos e teólogos para que esta fosse estabelecida como única verdadeira dentro do império romano no Concílio de Constantinopla I (381).

O que poucos sabem é que, várias vezes, tanto Gregório de Nissa, quanto Gregório de Nazianzo afirmam que Macrina fora sua grande mestra. Além de ensiná-los sobre a doutrina da Trindade, em seu leito de morte, mostrou a Basílio uma chave soteriológica muito interessante, na qual a salvação é um processo “não instantâneo”, que vai gerando glorificação na vida do cristão até estar em perfeita e plena comunhão com Deus (theosis). Nesse estado perfeito de contemplação, a alma estaria livre dos embaraços e desejos materiais e se tornaria uma com Deus na eternidade. Também ensinou que a comunhão da Santíssima Trindade, entre si, deveria se refletir na comunhão de vida dos cristãos aqui na Terra.

A nós não chegou nenhum escrito de Macrina, mas devemos lembrar de sua vida, ação e influência em nossa crença fundamental na teologia trinitária.

Referências Bibliográficas:

GONZÁLEZ, J. L. História ilustrada do cristianismo. A era dos mártires até a era dos sonhos frustrados. 2. ed. rev. São Paulo: Vida Nova, 2011.

IRVIN, D.; SUNQUIST, S. (org.) História do movimento cristão mundial. Vol. 1: do cristianismo primitivo a 1453. São Paulo: Paulus, 2004.

Prof. Lucas Gesta – Filigranas de História da Igreja

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here